O que é um bom pré-natal?

15/06/2017 0 comentário(s)

prenatal

 

Hoje vou falar um pouquinho do pré-natal. Não é nenhuma novidade que a mulher gestante precisa ser acompanhada durante seus nove meses de gestação com o objetivo de assegurar as melhores condições de saúde da mãe e do bebê, culminando com o nascimento de uma criança em perfeitas condições de saúde. Então, assim que descobrimos que estamos grávidas nossa primeira providência é marcar consulta com nosso GO e partir para os nove meses de seguimento.

Tá, e ai? O que que se faz numa consulta de pré-natal? Como é o esquema? De quanto em quanto tempo tem consulta? Que exames tenho que fazer? E o que mais eu devo perguntar para o meu médico nas consultas?

Para começar, o pré-natal não precisa ser realizado por médicos GO ( ginecologistas/obstetras); pode ser realizado por médicos da família, por enfermeiras obstetras e por obstetrizes. O importante é que seja alguém com quem você tenha empatia, saiba da competência profissional e sobretudo, que respeite suas escolhas em relação ao parto ( falaremos melhor sobre isso depois).

A primeira consulta de pré-natal geralmente é a mais importante do ponto de vista de reconhecer os riscos gestacionais, pois avalia todo o histórico médico da mulher, seus antecedentes pessoais, familiares, hábitos de vida, dados sobre a história da gestação atual e das pregressas, enfim.... vai um tempinho de conversa ai. Depois, o exame físico precisa ser bem detalhado também: peso, altura, cálculo do IMC ( índice de massa corporal - é com esse dado que programa-se o ganho de peso total esperado para a gestação), exame das mamas, do abdome, coleta de papanicolau e toque ginecológico. Nesta consulta, o médico geralmente orienta sobre dieta, atividade física, relações sexuais, vestuário, viagens, cuidados estéticos ( prevenção de estrias, melasma, edemas), produtos tóxicos que devem ser evitados, cuidados de higiene, medicamentos que podem ou não ser usados, etc. Normalmente o pré-natalista indica um polivitamínico ou suplementação de ferro e prescreve cremes para estrias e filtro solar.

Avaliado o risco gestacional pela história clínica e exame físico, o pré-natalista solicita os exames de rotina obrigatórios, que podem variar de serviço a serviço, mas no geral são esses ai:

1. Hemograma completo - avalia estados anêmicos.

2. Glicemia de jejum ou GTT ( teste de tolerância oral a glicose) - depende do local do pré-natal, mas ao menos a glicemia de jejum deve ser realizada. Os valores de referência são diferentes das mulheres não-grávidas.

3. Tipagem sanguínea / Rh - exame super-importante para avaliar risco de Doença Hemolítica Perinatal.

4. Sorologias para as seguintes doenças: HIV, sífilis (VDRL), hepatite B ( Hbsag), hepatite C ( anti-HCV), toxoplasmose IgG e IgM. Rubéola se a gestante não tiver vacinação prévia. Dependendo do serviço, é rotina a solicitação de mais algumas sorologias.

5. Exame sumário de urina e urocultura - importante para o diagnóstico dos quadros infecciosos urinários, especialmente os assintomáticos.

6. Parasitológico de fezes - não é obrigatório, mas ajuda no diagnóstico de parasitoses.

7. Ultrassonografia de primeiro trimestre - à partir de 6 semanas já é possível observar a presença de saco gestacional com embrião. Além de avaliar quantos embriões tem, se estão na posição intra-uterina, se o embrião tem boa vitalidade, a medida do mesmo permite um cálculo da idade gestacional com pouca margem de erro.

Com 24 a 28 semanas solicita-se um GTT, pois é a fase onde os hormônios gestacionais podem induzir o diabetes gestacional e as sorologias podem ser repetidas. Um novo US nesta fase avalia a morfologia do bebê e o desenvolvimento do mesmo.

No último trimestre, por volta de 36 semanas, as sorologias são novamente repetidas, e um último US pode ser necessário para avaliar o bem-estar fetal, com parâmetros como o peso fetal estimado, placentação, quantidade de líquido amniótico.

As consultas de pré-natal são mensais até 28/32 semanas, depois passam a quinzenais até 36 semanas e semanais até o nascimento. A cada consulta, é obrigatório avaliar o estado de saúde da gestante, buscando ativamente sinais de alerta ( sangramentos, perdas líquidas vaginais, contrações dolorosas antes do termo, dores de qualquer natureza, queixas urinárias, corrimentos patológicos ou qualquer outra condição que possa parecer patológica); o exame físico deve constar no mínimo da aferição da pressão arterial, peso, exame obstétrico ( medida da altura uterina, avaliação do posicionamento do bebê ( a partir de 28 semanas), auscuta dos batimentos cardíacos fetais ( à partir de 12 semanas), e eventualmente, exame especular e toque. Todos os dados precisam ser anotados na carteirinha da gestante ( que é um DIREITO da mesma, onde todo o registro da evolução da gravidez é feito de forma resumida).

Durante o pré-natal, o pré-natalista deve abrir um canal de comunicação com a família para discutir o PARTO. Mas, sobretudo, a mulher deve buscar, durante todo este período, toda informação que puder sobre os tipos de parto, sobre a fisiologia do parto normal, como acontece o trabalho de parto, como é o processo, como lidar com a dor do trabalho de parto, enfim..... ter toda a informação que puder para poder debater com seu pré-natalista a melhor via de parto para si. Infelizmente, como esse assunto demanda TEMPO em demasia, muitos obstetras acabam "fugindo" dessa conversa, ou apresentando respostas muito evasivas, ou delegando a função dessa discussão para os "cursinhos de pré-natal" que se disseminaram por ai. Esse é um papo que precisa ser debatido com toda a família, discutindo-se abertamente sobre o assunto.Eu particularmente recomendo fortemente que as gestantes procurem grupos de apoio ao parto normal em suas cidades ( quase todas elas tem) pois está cada vez mais difícil parir com dignidade e respeito nesse país. Aqui em Ribeirão Preto indico o Despertar do Parto. Recomendo também fortemente que você conheça o trabalho da doula, e contrate uma para estar com você durante o pré-natal, parto e pós-parto.

Outro assunto que precisa de preparo e discussão prévia é AMAMENTAÇÃO. Em relação as mamas, a recomendação atual é somente o banho de sol, não sendo necessário massagens, uso de produtos nas mamas, nem fricção. Mas é importante conhecer a fisiologia da lactação, aprender como deve ser a pega correta do bebê, o que é colostro, leite anterior e leite posterior, como massagear e ordenhar as mamas e a importância do leite materno ( como nutriente do corpo e da alma do bebê). Muitos pré-natais, especialmente em consultórios particulares, não oferecem nenhum tipo de curso ou serviço especializado em orientação de amamentação, por isso também recomendo fortemente que se procure u algum serviço deste tipo, ou no banco de leite da sua cidade, ou no hospital onde vai dar a luz, ou em cursos específicos pagos ( fiz o meu na Aninhare e foi super-bom!).

Durante os 9 meses a família deve discutir o local onde vai dar a luz, visitando as maternidades da cidade, observando não somente a hotelaria, recursos tecnológicos, estrutura física, mas sobretudo, equipe de saúde, apoio ao parto normal, assistência a amamentação e respeito a mulher e a sua família. Nada como conversar com outras mulheres que deram a luz naquele local para saber como se sentiram, como foram acolhidas e como foi a experiência do parto. Lembrar que existem opções alternativas às tradicionais maternidades, como as casas de parto, os centros de parto normal e o parto domiciliar.

Além disso, acho que as mulheres nesta fase precisam de um grupo de discussão, apoio e informação. Pode ser virtual ou presencial. Esta fase, de profundas mudanças físicas, psíquicas e sociais pode afetar profundamente o equilíbrio da gestante e ter um grupo de apoio, onde pessoas que passam a mesma experiência podem compartilhar seus medos, angústias, alegrias, informações, pode ser extremamente benéfico e eficaz. O nosso grupo G&M no facebook faz muito bem este papel, acolhendo não só as gestantes com mamães com crianças de todas as idades. Se você está grávida ou é mãe e quer participar, basta acessar o Geração Mãe.

Ah, e estes 9 meses devem ser vividos intensamente com a família, curtindo o crescimento da barriga, o bebê mexendo, os preparativos para a chegada do bebê, a escolha do enxoval, lembrancinhas, chá de bebê, tudo isso é muito delicioso de se viver e compartilhar.

Leia mais sobre pre natal:

Vitamina D e gestação

Dra. Flávia Maciel

Criadora e administradora do Geração Mãe, médica Ginecologista e Obstetra, mãe do Rodriguinho e da Bianca (que nasceu em um lindo parto domiciliar), descobriu na maternidade a oportunidade de se expandir como pessoa e profissional. Defensora da humanização do nascimento, apaixonada por pessoas, livros e açaí.

flamamendonca@gmail.com

0 comentário(s) em O que é um bom pré-natal?

Deixe sua opinião, faça parte, compartilhe!

Comente você também! Não divulgamos dados confidenciais. Seu e-mail estará seguro conosco!
Todos os campos são obrigatórios.

Preenchimento obrigatório.

Preenchimento obrigatório.